Karate-Do Tradicional www.budokan.com.br Florianópolis/SC


Drogas? Diga não!

Hosted by Via IP


Extrato do livro:


KANAZAWA, 10th DAN - Recollections of a Living Karate Legend

"Eu me lembro de uma história engraçada. Uma vez fui desafiado por um enorme havaiano que declarava ser 12º Dan em Kajuken-Kenpo e usava uma faixa-dourada - faixas-prateadas aparentemente eram usadas pelos 11º Dans. 'Oh!' respondi eu, e perguntei a ele, 'O que é o Kajuken-Kenpo?' Ele explicou que era uma arte marcial completa, desenvolvida a partir do Judo, Kenpo, etc., e ele queria ver o quão forte eu era. Eu disse que não queria lutar com ele, pois minha filosofia era não enfrentar as pessoas do local pois isso só traria problemas. Se eu ganhasse, qualquer um poderia tornar-se meu inimigo, e se eu perdesse, então minha carreira dentro do Karate estaria acabada. Se eu perdesse, eu nunca voltaria a praticar Karate. Isto é verdade. Então, eu não tinha nada a ganhar de um confronto, e tudo a perder. 'Então, você não tem confiança' ele me disse, e quando eu respondi que tinha confiança, eu acho que ele entendeu.

"Antes dele ir embora, entretanto, ele comprou duas Coca-Colas de uma máquina - na época não havia este tipo de máquina no Japão - e me deu uma. Ele começou a beber e eu olhei para a minha e pensei 'Como eu abro isto?' Ele sabia muito bem o que eu estava ponderando, e tirou a garrafa da minha mão e arrancou a tampinha com os dedos. Eu fiquei muito surpreso e também irritado. Ele estava tentando me humilhar. Então eu resolvi cair na dele e disse, 'Okay. Nós vamos lutar, porque você pensa que eu sou um fraco. Mas antes nós vamos assinar uma declaração de que se eu machucar você, ou se você me machucar, a parte lesada não terá direito à revanche. Você é muito forte e eu não posso fazer o que você acabou de fazer, isso é impossível para mim, mas você não me conhece. Você me mostrou o que é capaz de fazer, agora, antes de lutarmos, deixe-me mostrar o que eu sou capaz de fazer.'

"Então, eu executei o Kanku-Sho, não em velocidade normal, mas mais rápido. Quando terminei ele disse, 'Oh! Muito bem.' Mas eu pude perceber que ele não estava realmente impressionado, então eu disse que iria mostrá-lo mais uma coisa. Peguei no escritório duas tábuas de madeira de 1 polegada de espessura cada e joguei-as para cima com o intuito de quebrar ambas, uma com um chute, outra com um soco ou outro golpe de mão, enquanto elas estavam no ar. Eu costumava fazer isso em demonstrações, e geralmente utilizava uraken e mawashi-geri, e às vezes seiken e mae-geri, o que é muito difícil. Quebrar as tábuas não era minha principal preocupação, mas sim acertar o tempo exato de arremessá-las, pois jogá-las para cima ao mesmo tempo faria com elas caíssem juntas. Minha especialidade era quebrar tábuas no ar, fazendo que a metade de cada uma caísse sobre a outra metade. Este era o meu intuito. Eu tinha feito isso muitas vezes antes, mas essa demonstração não saiu exatamente como planejado.

"Quando as duas tábuas estavam caindo, eu dei um uraken em uma peça, e esta quebrou no ar, caindo uma metade sobre a outra, mas o mawashi-geri não foi tão focado como deveria ter sido, e apesar de eu ter quebrado a tábua em pleno ar, uma metade caiu no chão e a outra voou para dentro do duto de ar-condicionado na parede e desapareceu. Eu não acertei a tábua exatamente no meio, e empurrei um pouco.

"O homem ficou realmente impressionado com essa demonstração. Ele pensou que eu tinha intensionalmente feito o que fiz, e desistiu da idéia de levar o desafio adiante. Isso me deixou muito feliz."


Nota: O texto acima não tem a intenção de violar os direitos autorais do autor/editora, mas sim promover a divulgação desta obra e inspirar as pessoas em adquirí-la. Se você gostou do que leu e quiser saber mais, compre o livro!


Título: KANAZAWA, 10th DAN - Recollections of a Living Karate Legend
Autor: Layton, Clive
Editora: Shoto Publishing
ISBN: 0953028763
Idioma: Inglês

Compre este livro na Amazon.co.uk!



Voltar Copyright © 1997-2005 BUDOKAN - Todos os direitos reservados Topo